Cinema

Os cinemas de rua de SP: Parte 3 – Cine Caixa Belas Artes

Cine Caixa Belas Artes

O nosso especial de cinemas de rua começou contando um pouco sobre a existência da chamada Cinelândia, apelido dado pelas pessoas à região central da cidade que era o ponto de encontro de quem queria se divertir assistindo a um bom filme – qualquer que fosse o estilo. Depois ajudamos a ação do Cine Matilha Cultural, o único que recebe os pets para uma sessão de cinema com os donos, a se reerguer depois que a sua estrutura foi danificada pelas fortes chuvas que atingiram a cidade.

Neste terceiro texto, você vai conhecer o queridinho – e atualmente mais famoso – cinema de rua em atividade na cidade: o Cine Caixa Belas Artes. Mesmo que você nunca tenha ido ver um filme ou tomar um café no Belas Artes (para os íntimos), com certeza já deve ter passado na sua frente ou ter ouvido alguém comentar algo sobre ele.

cine caixa belas artes

Isso acontece por que o tradicional cinema é localizado na rua da Consolação, ao lado da entrada da estação Paulista do metrô – linha 4 amarela) e em frente ao bar/restaurante Riviera (tradicional das décadas de 50 e 60 que foi reaberto pelas mãos de Facundo Guerra e Alex Atala, em 2013).

Fonte: Estadão
Fonte: Estadão

Inaugurado em 1943, seu primeiro nome foi Cine Ritz. Em 1958 ele passou a se chamar Cinema Trianon, alguns falam que na verdade o Trianon ficava ao lado e que depois eles se juntaram, mas, infelizmente, não temos como ter certeza.

Inauguração do Cine Trianon em 1956
Fonte: Estadão

Mas, de uma coisa que temos certeza é que o seu nome como Cine Belas Artes só aconteceu em 1967, durante a ditadura, onde virou um local de encontro para os intelectuais. Neste período o cine não se intimidou e exibiu filmes de Herzog, Glauber Rocha, Godard e Ruy Guerra que faziam a alegria da “juventude transviada”.

Cine HSCB Belas artes

Só que a história do número 2423, da Rua Consolação, sempre foi marcada pela incerteza. Em meados dos anos 90 ele acabou por fechar as suas portas que só foram reabertas novamente em 2004 pelas mãos do cineasta André Sturm, da Pandora Filmes, que assumiu a direção junto com a O2 de Fernando Meirelles. Por conta do patrocínio de uma instituição financeira, o seu nome foi alterado para HSBC Belas Artes.

No mês de março de 2010 o HSBC resolveu reincidir o contrato. Essa atitude mobilizou a população pois Sturm afirmou que não conseguiria mantê-lo sozinho e que se não conseguisse outro grande patrocinador o cinema iria fechar. Na sequência, o locatário aumentou o valor do aluguel e disse que o seu novo destino seria uma loja de roupas. Não tendo resultado nas negociações, o cinema fechou novamente no começo de 2011.

Essa atitude gerou revolta em muitos frequentadores e fãs do local que organizaram ações e protestos pela volta do cinema pedindo pelo tombamento do prédio, por ser considerado um Patrimônio Cultural da cidade.

manifesto - belas artes

O manifesto teve a adesão de pessoas como do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ex-vereadora Soninha Francine, cartunista Laerte, atriz Eva Wilma, cineasta Laís Bodanzky e urbanista Ricardo Ohtake. O processo teve 90 mil apoiadores no Causes do Facebook e mais de 28 mil assinaturas no abaixo-assinado online.

reabertura cine caixa belas artes

A luta deu certo e em 19 de julho de 2014 o cinema reabriu com a nova chancela de Cine Caixa Belas Artes, patrocinado pelo banco Caixa Econômica Federal. Hoje ele segue firme e forte com uma programação atual, seguindo o seu estilo mais lado b, com eventos especiais de clássicos antigos e evento mensal conhecido como NOITÃO, que apresentam a cada edição um tema diferente. onde só os fortes sobrevivem a sessões que começam a meia noite e segue até as 6h da manhã com direito ao café da manhã.

Em junho desse ano mais uma grande novidade passou a fazer parte do portfólio do Belas Artes. A parceria de Sturm com o empresário Facundo Guerra, do grupo Vegas, deu origem a sala Drive-In.

cine drive in - belas artes

Com inspiração nos cinemas americanos antigos em que as pessoas iam a uma sessão de cinema nos estacionamentos da cidade e viam os filmes de dentro dos seus carros e ainda eram servidos por garçonetes durante a apresentação. O Cine Drive-In segue essa temática com poltronas que imitam carros como Dodge, Impala, Galaxie e Cadillac, nas paredes a iluminação é feita por faróis.

Para não deixar de lado o clima de “comilança”, no fundo da sala tem um bar com delicias bem diferentes que vão de porções, até sanduíches, sobremesas criadas pela chefe Mari Gilbertoni do Riviera (do Z Carniceria) e drinks diferenciados criados pelo bartender Kennedy Nascimento.

belas_artes_

Além disso, ao lado da bilheteria do cinema é possível tomar um café enquanto espera a sua sessão e ainda uma loja com filmes e livros clássicos. No andar de cima também existe uma cafeteria e uma vista linda da cidade. O Belas Artes voltou e não vamos deixar que ele se vá novamente.

Vamos aproveitar a cidade e curtir os cinemas de rua.

Thais Cunha

Sobre Thais Cunha

Sócio-fundadora do SP2GO. Amante da cidade, da sua história e das suas peculiaridades. Gosta de aproveitar tudo o que a cidade oferece e de vasculhar todos os seus cantinhos. Uma paulista que simplesmente não consegue se imaginar morando em outra cidade.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *